Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Tour pela História do Rio de Janeiro e do Brasil

Breve resumo da história do Rio de Janeiro e Brasil, e indicação de alguns pontos a serem visitados em tours históricas.

A história registrada do Rio de Janeiro começou dois anos depois da história do Brasil. Foi em 1º de Janeiro de 1502 que chegou à primeira expedição portuguesa à Baía de Guanabara, cuja missão era explorar e conhecer a costa brasileira.

Local de fundação da Cidade do Rio de Janeiro

Local de Fundação do Rio de Janeiro

Marco de posse e fundação do Rio de Janeiro

Marco de Fundação do Rio de Janeiro

Baia de Guanabara em 1834

Baía de Guanabara e Rio de Janeiro em 1834

Descoberta da Baía de Guanabara em 1502

Ao adentraram na Baía de Guanabara, a chamaram de Rio de Janeiro, supostamente por pensarem tratar-se da foz de um grande rio, sendo Janeiro referência ao mês corrente daquele ano. Entretanto existe outra versão, onde especula-se que, em Português arcaico, "rio" também significava baía.

Na metade do Século 16 invasões corsárias, retomada da terra e fundação da Cidade do Rio de Janeiro

Em função das riquezas de além mar, mais tarde vieram outras expedições portuguesas e também invasões corsárias e piratas.

Réplica de nau dos primeiros navegantes no século 16Em reação às invasões, a Coroa Portuguesa enviou forças, primeiramente comandadas pelo então Governador Geral do Brasil, Mem de Sá que destruiu o Forte Coligny, construído por invasores franceses na ilha que posteriormente foi chamada de Villegagnon na Baía de Guanabara.

Maquete de aldeia dos primitivos habitantes e contato com navegantes no século 16Cinco anos depois sob o comando do Capitão Estácio de Sá, mais forças chegaram para fundar a Cidade do Rio de Janeiro em 1º de Março de 1565 e iniciar uma nova guerra contra os invasores que ao local haviam retornado.

Desde aqueles tempos remotos, a cidade passou por diversas eras e ciclos, desempenhando sempre um papel de importância crucial na história do Brasil.

Em 1763 o Rio de Janeiro torna-se Capital do Brasil

No ano de 1763, o Marquês de Pombal, primeiro ministro de Portugal transferiu a capital da colônia para o Rio de Janeiro, passando a ser então sede do Vice-Reino.

Durante o governo do Marquês de Pombal também acontece a expulsão dos Jesuítas das terras Portuguesas. No Rio de Janeiro os Jesuítas tinham enormes sesmarias, e tiveram papel fundamental na conquista da terra e construção da civilização brasileira.

Vinda da Corte Portuguesa em 1808 torna o Rio de Janeiro capital do Reino Unido de Portugal e Algarve

Com a vinda da Corte e Família Real Portuguesa para o Brasil, em 1808, a importância da cidade aumentou ainda mais, passando de sede do Vice-Reino para sede do Reino Unido de Portugal e Algarve, atraindo a curiosidade e atenção da Europa.

E a partir do ano de 1822, quando então D. Pedro I proclamou a Independência do Brasil, passou a ser capital do Império.

Durante o Segundo Reinado, de D. Pedro II, o Rio de Janeiro passou por uma fase de grande progresso e desenvolvimento em todos os setores.

Largo do Paço por volta de 1815

Largo do Paço por volta de 1815

Baia de Guanabara vista do Passeio Público em 1845

Baía de Guanabara vista do Passeio Público.

Mapa do Rio em 1873

Vista do Centro Rio de Janeiro em 1873

Em 1889, um novo ciclo se iniciou com a Proclamação da República, e o Rio de Janeiro passou a ostentar então o título de capital da Federação.

Após a Proclamação da República o Rio inícia uma nova era com ares parisienses

Na primeira década do século 20 a cidade passou por grandes transformações urbanisticas, com a abertura de vias largas como Av. Central, abertura da Av. Beira Mar paralela às praias até o final do Flamengo e Av. Mem de Sá. Veja sobre as ruas e avenidas do Rio.

Avenida Central

Avenida Central inaugurada em 1905

Avenida Beira Mar

Avenida Beira inaugurada no final de 1906

Praça Paris

Praça París terminada em 1927

Nesta época, o Morro do Senado foi demolido, como parte da abertura da Av. Mem de Sá e criação da Praça da Cruz Vermelha. As terras do morro foram usadas para aterros na criação da Região Portuária, prolongamento do Canal do Mangue e criação do bairro do Santo Cristo também sobre aterros, sobre uma antiga nesga de mar chamada Saco de São Cristóvão.

Posteriormente, dando continuidade às transformações, foram desmantelados dois outros morros do centro da cidade. Em 1922 foi criada a Esplanada do Castelo onde existia o Morro do Castelo. Aproveitando do material do desmantelamento do morro, muitos aterros foram feitos, entre eles o aterro para criação da região do Aeroporto Santos Dumont, e aterro da enseada da Glória onde surgiu a Praça Paris. Ainda na primeira metade do século 20 surgiu também o bairro da Urca sobre aterro.

No final da década de 1950, ocorreu o desmonte quase total do Morro de Santo Antônio, dando origem à Esplanada do Morro de Santo Antônio. O material do desmantelamento deste morro foi utilizado para a criação do Aterro e Parque do Flamengo.

Em 1960 o Rio de Janeiro deixa de ser Capital de Brasil

O Rio de Janeiro se manteve como Capital da República, titúlo este que foi mantido até o ano de 1960, quando então a sede do governo federal foi transferida para Brasília.

Devido à todos estes fatos, o Rio de Janeiro foi palcos de muitos dos maiores acontecimentos da história do Brasil, fatos estes que marcaram épocas, que foram memoráveis e de grande importância na história do País. Como legado destes fatos, ficaram heranças culturais, grandes construções e monumentos que permanecem como testemunhos vivos da história até os dias de hoje.

Deste modo, como resultado da construção de uma civilização, ficaram materializados inúmeros predios, fortes e fortalezas, igrejas e sítios históricos, que constituem um dos mais belos e interessantes legados arquitetônicos do Brasil, que remete à vários estilos e várias épocas.

Paço Real Imperial

Antiga Casa do Governadores e Paço Real na Praça XV

Paço Real de São Cristóvão

Paço Real de São Cristóvão na Quinta da Boa Vista

Palácio do Catete

Palácio do Catete | Antiga sede da Presidência da República

Entretanto, ao contrário dos dias passados, muitos destes edifícios e construções, hoje estão abertos à visitação pública, sendo possivel aos visitantes e turistas, entrarem nos mesmos ambientes onde grandes personalidades cunharam a história deste pais.

Referências

  • Visita à locais históricos feitas pelo autor desta página.
  • Livros sobre o Rio de Janeiro e sua história e artigos sobre turismo foram consultados para dar suporte à criação desta página.