Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Arco do Teles

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Meio escondido numa parte do Centro do Histórico do Rio de Janeiro está o Arco do Teles. Bares e restaurantes agradáveis e interessantes são encontrados no local, onde muitas pessoas desfrutam de um ambiente permeado de cultura e história.

Um Arco Com Estreita Vielas Testemunha a Vida no Rio

O edifíco onde fica o Arco do Teles foi construído por volta de 1743, na mesma época da contrução da Casa dos Governadores que viria posteriormente a ser Paço Real. A construção também ficou a cargo do mesmo engenheiro militar, José Alpoim, que projetou e construiu o Paço Real.

A foto mostrada abaixo, à esquerda, mostra o edifício e também o arco que dá passagem para algumas ruas antigas e ainda hoje em dia movimentadas principalmente durante dias de semana. com muitos bares e restaurantes.

O Arco do Teles abre uma passagem da Praça XV para a Travessa do Comércio, indo em direção à outra rua chamada Rua da Lapa dos Mercadores. O Arco do Teles é obra do Engenheiro Brigadeiro João Fernandes Pinto Alpoim, e no local existe um interessante conjunto de casas do Rio antigo.

Após passar sob o arco, entra-se na Travessa do Comércio (foto mais abaixo) e pode-se caminhar por outras pequenas, estreitas e pictorescas vielas do Rio antigo. Esta foto acima, foi tirada num fim de tarde de domingo, e portanto os bares e comércio estão fechados e rua praticamente deserta.Arco do Teles, construção dos tempos coloniais, na Praça XV

Mas em dias de semana o lugar é movimentado, algumas mesas tomam contas das calçadas, muitas pessoas circulam de passagem ou frequentam os bares e restaurantes do local. A cena é interessantissima, sendo um dos pontos mais interessantes da cidade.

O local é exclusivo para pedestres, com calçamento antigo que remete também aos primeiros calçamentos do Rio de Janeiro, feito com pedras pequenas pavimentando as ruas e lajes ou grandes pedaços de pedras planas pavimentando as calçadas.

Os bares do Arco do Teles são também muito frequentados no nos fins de tarde, durante o chamado "happy hour", onde muitos se reuném para colocar as conversas em dia, regadas a petiscos e tira-gostos.

A "fauna humana" que frequenta o lugar é bem diversificada, com frequencia bastante popular e descontraida, e é também bastante frequentada por engravatados que trabalham no centro da cidade, sendo funcionários de repartições ou empresas, executivos ou profissionias liberais.

História e Curiosidades

O Arco do Teles está entre as preciosidade históricas preservadas que remetem a dois ou três séculos que já se foram. Faz parte da do patrimônio histórico da cidade, tem importância arquitetônica e cultural, tendo sido parte importante da vida da cidade em diferentes tempos.Estreita viela chamada Travessa do Comércio, no Arco Teles

Carmen Miranda Morou no Local

Em uma casa, perto da esquina que se vê ao fundo, ainda na Travessa do Comérico, do lado direito desta viela da foto, morou durante algum tempo a jovem Carmen Miranda, que viria se tornar uma das maiores cantoras do Brasil, e que posteriormente se firmaria como estrela internacional e também atuando em filmes de Hollywood. Sua mãe possuia uma pensão naquele local e seu pai um salão de barbearia em local próximo.

A foto acima foi tirada em uma tarde de domingo, com os bares e restaurantes fechados. Em dias de semana, o local torna-se movimentado.

Casa de Juizes

A construção do local se deve a um certo, Dr. Francisco Barreto Teles de Meneses. Foi sobre este arco que ficavam moradias luxuosas à sua época, que tinham como moradores os cabeças da família Teles por longo período. Os Teles, em prática tiveram o monopólio do Juizado de orfãos e outras varas do Rio de Janeiro por longo tempo durante o Rio colonial. E este monopólio era transferido de pai para filho, como também de sogro para genro.

O Sede do Senado da Câmara e o Grande Incêndio

No ano de 1790, na construção que contém o arco, funcionava o Senado da Câmara, até o dia em que o prédio incendiou-se, se tornando um dos mais conhecidos e famosos incêndios ocorridos nos tempos do Brasil Colonial. Centenas de pessoas saiam às ruas às pressas para ajudar, e para ajudar e dar o exemplo, até o então Vice-Rei Conde de Resende deixou apressado seu palácio em direção ao prédio em chamas.

O incêndio causou uma grande perda, destruindo o prédio e um armazem que havia em baixo. Mas a perda não foi somente em termos finânceiros, sendo que inúmeros arquivos e documentos foram perdidos no incêndio.

Posteriormente, a antiga construção foi reconstruída, o arco que se encontra sob a construção, se tornou um local decadente por dezenas de anos, tido como local de má fama, usado como abrigo de mendigos, mulheres da vida, malandros, assassinos, ladrões.

O Arco do Teles no Século 20 e 21

Bares nas ruas do Arco do TelesPode-se notar pelas construções existentes na Travessa do Comércio e imediações, construções estas que apresentam fachadas caracterísitcas do final do século 19 e primeiros anos do século 20, que o local era bem ocupado novamente, com casas reconstruídas ou reformadas de acordo com os padrões vigentes e estilo da época.

Finalmente o Arco do Teles foi tombado pelo patrimônio histórico, e sobreviveu a onda devastadora de demolições provocadas pelo auge da euforia modernista do século 20, principalmente da segunda metade, quando inúmeros arranha-céus foram construídos no centro do Rio de Janeiro.

O Arco do Teles hoje em dia está cercado ou margeado por alguns grandes edifícios comerciais de gosto totalmente questionáveis. Entretanto, continua a marcar sua interessante presença, juntamente com outras ruas antigas que o cercam com seus antigos casarios. E o local hoje é ponto de bons bares e restaurantes desconstraídos, alguns com música ao vivo, inclusive chorinho em algumas noites.