Avenida Chile

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

A Avenida República do Chile, no Rio de Janeiro, ostenta prédios altos e grandiosos. Situa-se em uma área nova e ao mesmo tempo antiga da cidade. Na verdade, a avenida fica em uma esplanada resultante do desmonte quase total do Morro de Santo Antônio.

Anúncio:

Sobre a Abertura da Av. Chile

A Av. República do Chile faz parte da "safra" de novas ruas e avenidas abertas no Rio de Janeiro no século 20, em decorrência de desmonte de morros e aterros. Mais precisamente falando, a abertura da Av. Chile decorre do desmonte quase total do Morro de Santo Antônio.

O Morro ficava entre o Largo da Carioca e a Rua do Lavradio, tendo sido este morro praticamente todo demolido na metade do Século 20, com intuito seguir uma política de expansão urbana da cidade. Do Morro de Santo Antônio, resta apenas a parte onde fica o Convento de Santo Antônio e suas duas Igrejas, que fazem frente para o Largo da Carioca. Felizmente estas duas relíquias históricas dos tempos coloniais foram preservadas.

Como ir ou chegar na Avenida Chile

É muito fácil, pois a mesma fica entre a Cinelândia e Largo da Carioca. Para quem vai de Metrô, basta descer no Largo da Carioca e andar alguns metros. Para quem vem da Cinelândia, que também possui estação de Metrô, basta vir pela Rua 13 de Maio. Inúmeros ônibus também passam pela avenida, havendo inclusive alguns pontos na própria avenida.

A Avenida no Cenário da Cidade

A Av. República do Chile, se extende entre a Rua Marques do Lavradio e até o Largo da Carioca, mais precisamente até a esquina com a Rua Senador Dantas. A partir deste ponto, esta via passa a se chamar Av. Almirante Barroso.

Tanto a Av. Almirante Barroso, com a Avenida Rio Branco e Av. Chile são endereços comerciais e ocupados por edifícios que servem a grandes empresas, algumas de andares corridos, outros são totalmente ocupados por uma só empresa ou instituição.

Enquanto a Av. Rio Branco foi aberta no início do Século 20, a Av Chile foi aberta na metade do mesmo século, e começou a ser ocupada após os anos 1960.

Uma grande esplanada foi criada na área do Morro arrasado, e uma das primeiras e maiores construções do local foi a nova Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, uma obra da arquitetura modernista que pode ser melhor entendida e apreciada se vista por dentro.

Edifícios da Av. Chile no Centro da Cidade do Rio de Janeiro

Acima os edifícios da Av. Chile no cenário da cidade do Rio de Janeiro. O Prédio em formato cônico é a Catedral Metropolitana. O edifício em forma de "bloco metálico com espaços vazios" é Edifício da Petrobrás. Em frente à catedral, existem quatro grandes torres, sendo as duas primeiras da esqurda para a direita empreendimentos comerciais da inciativa privada. Ao lado a torre ou edifício de fachada espelhada, aparece um pouco atrás o antigo Edifício do BNH (atulamente pertence à Caixa Econômica). E do lado deste, em frente ao edifício da Petrobrás aparece o Edifício do BNDE, todo em vidro escuro/preto.

Construção do Triângulo das Bermudas Carioca nos anos de 1970

À seguir foram construidos nos anos de 1970 três grandes edifícios, que até os dias de hoje marcam significativamente o cenário do centro do Rio de Janeiro.

Os três grandes e imponente edifícios governamentais construídos nesta década foram o edifício da Petrobras, o Edifício do BNDS e o Edifício do BNH (vide antigo BNH, atualmente da Caixa Econômica). Todos estes edifícios podem ser considerados marcos da arquitetura moderna no tocante à edificações para grandes corporações, pelas suas formas, partido de projeto adotado, assim como pela estrutura e construção.

Sendo o carioca muito irreverente, e tendo o hábito de fazer críticas bem humoradas, chamaram a área que ficava entre os três edifícios de "triangulo das bermudas", em alusão ao alto custo das construções e "desaparecimento" do dinheiro público gasto em concreto armado e demais materiais construtivos. Deve-se notar que, o termo "desaparecimento" não tem um conotação de "uso leviano", mas referia-se mais aos altos gastos com edifícios luxuosos para época de sua construção. A conotação alusivava seria de "esbanjamento"

Como crítica favorável, muitos viam nos prédios um patrimônio público, de propriedade do povo, e portanto, os defensores não viam naqueles prédios "gastos", mas sim investimentos que enalteciam e faziam juz a grandes empresas, que na verdade fazem parte do orgulho nacional e do projeto de um grande pais.

Avenida Chile vista da esquina com Largo da CariocaAssim, apenas a título de curiosidade, e sem teor crítico, fica aqui anotado a "brincadeira" proveniente do espírito critico do carioca. Alias, diga-se de passagem, este hábito de criticar vem de longa data, e o edíficio que é atualmente ocupado pela camara de vereadores do Rio de Janeiro, na Cinelândia, quando foi construído no início do século 20 recebeu o apelido bem humorado de "gaiola de ouro" devido aos altos custos da construção.

Descrição das Grandes Edificações da Avenida

Na foto acima, a Av. Chile é vista em seu início ao lado do Largo da Carioca que fica à direita de quem olha para o horizonte. A foto foi tirada num domingo por isto parece deserta. Mas em dias de semana a área é ultra movimentada.

Em primeiro plano aparece um edifício com numeração da Av. Almirante Barroso. A partir deste ponto, a Av passa a se chamar República do Chile. Do lado esquerdo vemos o prédio da Petrobrás e do lado esquerdo o prédio do BNDS. O edifício do antigo BNH não aparece nesta foto, pois está atrás do edifício do BNDS. Mais à frente, lado direito aparece dois dos outros grandes edifícios que ocupam a avenida. Este que aparece meio escondido, parece ter sido concluído em fins de 2010. O Outro que não aparece na foto foi construído na última década do século 20. A torre que aparece do lado direito, após o edifício da Petrobrás, é a torre dos sinos da Catedral Meropolitana. (clique sobre a foto para ver tamanho maior e com mais detalhes). A foto de baixo mostra o antigo edifício do BNH que não aparece na foto acima.

Avenida Chile vista do alto

A foto acima mostra a avenida Chile do lado esquerdo e ao centro e canto inferior direito, vemos alguns e também parte do Convento de Santo Antônio (na época em reforma). Tanto os jardins que aparecem na foto, como o convento, fica de frente para o Largo da Carioca, sobre a parte que restou do Morro de Santo Antonio, quase todo arrasada para criar uma esplanada ou área plana.

Para quem olha a Av Chile vindo do Largo da Carioca em direção à Rua do Lavradio, vê-se primeiramente à esquerda o Edifício da Petrobrás e do lado direito do Edifício do BNDS. Atravessando o cruzamento da Av. República do Paraguai (não aparece bem na foto), vem a seguir o Edifício do antigo BNH que hoje em dia aparece de forma mais discreta, por ficar um pouco afastado da Av. Chile, tendo jardins à sua frente. Este edifício aparece na foto acima, após o Edíficio do BNDS.
Prosseguindo, do lado esquerdo situa-se a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, com sua ampla entrada.
Do lado direito da avenida, exsitem 2 outros grandes edificios, estes construídos em estilo Pós Moderno, sendo que um deles parece ter sido concluído em 2010.
A Av. Chile já está praticamente tomada grandes edifícios, poucos ao todo, e todos eles separados entre sí, sem encostarem-se nas divisas dos terrenos, dando uma aparência mais moderna, mais arejada e mais ensolarada à avenida.
Trata-se de um ponto muito valorizado do Rio de Janeiro, e bastante procurado para escritórios, grandes empresas e grandes corporações.

Se gostou, recomende: