Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

História do Carnaval do Rio de Janeiro

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O Carnaval do Rio de Janeiro é uma manifestação cultural e festa popular mundialmente famosa. Talvez a festa popular mais conhecida no mundo, sendo uma atração que chama atenção por todos os diferentes tipos de manifestação, como desfiles de escola de samba, bailes de carnaval, carnaval de rua, bandas e blocos de rua.

As Possíveis Origens

Segundo o Autor Alberto Ribeiro Lamego, no livro "O Homem e a Guanabara" supõe que as origens do Carnaval vem das celebrações da Páscoa de 1641 que comemoraram também a Restauração de Portugal, através de uma passeata a caráter onde o governador tomou parte, seguido de simulações de combates, corrida de touros e cavalhadas.

Estas festas eram chamadas "encamizadas". Cavalhadas era uma espécie de festa, onde se representava a luta entre mouros e cristãos, entre cavaleiros com cavalos ornamentados, sendo doze cavaleiros mouros e doze cavaleiros cristãos representando batalha travada na Idade Média ao tempo de Carlos Magno.

Ele acredita que, a origem do Carnaval carioca vem destas lembranças para homenagear tempos heróicos e passados, sendo que estas manifestações, como as Cavalhadas ainda sobreviviam pelo interior do Brasil.

Na gravura ao lado, o pintor Debret retrata os festejos e folias de carnaval ao tempo de D.João VI nas ruas do Rio de Janeiro. A mulher sentada vende "limões de cheiro" ou bolas de cera cujo conteúdo interno geralmente era água perfumada, para ser atirada nas pessoas. A menino ao lado está com um bisnaga lançando água. As manchas brancas na face devem ser farinha.

Debret retrata o carnaval ao tempo de D.João VI

Acima a gravura de Debret mostrando festejos carnavalescos no tempo de D.João VI, como acontecia nas ruas do Rio de Janeiro.

ilustração de carnaval no século 19

Ilustração de carnaval no século 19

O Carnaval ao Longo dos Tempos

Nelson Costa, autor do livro "Rio de Hoje e Ontem", descreve que os festejos carnavalescos sempre entusiasmavam os cariocas desde os primórdios da cidade.

Indos mais além, através da consulta e observação de outras e várias fontes, podemos notar que o carnaval do Rio passou por inúmeras fases e transformações.

Na primeira metáde do século 19 a brincadeira tinha caracteristicas bastantante diferentes das manifestações que se sucederam e surgiram na segunda metade. A partir da segunda metade do século 19 as manifestações de rua passaram a ser mais organizadas através de agrupamentos, clubs e associações.

Principais manifestações carnavalescas que se sucederam ao longo do tempo

O Entrudo, brincadeira popular de rua e também adotada pela classe média que prevaleceu até a primeira metade do século 19.

As Grandes Sociedades Carnavalescas surgiram na segunda metade do século 19 e eram organizadas em parte por membros alta sociedade brasileira, quando então saiam às ruas fantasiados em desfiles organizados, aludindo aos mais diversos temas, fazendo uso de fantasias luxuosas e requintadas ao estilo europeu.

O cordões e blocos apareceram no final do século 19, sendo que o primeiro cordão que surgiu com registro histórico remete ao ano de 1886. Mas acredita-se que os Cordões surgiram ao mesmo tempo que as Grandes Sociedades e os Ranchos. O Blocos e Cordões eram formados por grupos de foliões que andavam em fila, com seus partipantes caminhando e dançando um atrás do outro e frequentados por pessoas comuns que ser fantasiavam.

Os corsos de carnaval e batalhas de confete podem ser tidos como a nova formatação no século 20 dos antigos cortejos ou desfiles das grandes sociedades carnavalescas que dominaram a segunda metade do século 19.

Os ranchos carnavalescos eram associações que desfilavam pelas ruas ou faziam cortejo de carnaval de forma organizada, acredita-se que as principais influências vieram de costumes influênciados pela cultura africana, como Congos e Cucumbis, muito difundidos na cultura popular. Eram um cortejo com a presença de Rei e Rainha ao som das chamadas marcha-rancho. Os Ranchos surgiram no final do século 19 e ganharam muito prestígio e evidência na primeira metade do século 20.

As Escolas de Samba surgiram na virada de 1930 e passaram a ganhar cada vez mais destaque em detrimento do desfile dos Ranchos. Veja mais sobre o aparecimentos das Escolas de Samba e em que elas se diferenciam dos Ranchos.

Uso de Lança-perfume e Serpentina

Os costumes carnavalesmo mudaram ao longo do tempo, e novas formas de manifestação foram aparecendo no século 20 no Rio de Janeiro. No século 19 havia muitas festas além do carnaval, e muitos destes festejos praticamente desapareceram da tradição como a Festa do Divino entre outras. 

No século 20, o Carnaval no Rio tornou-se a festa máxima e mais importante, passando a influir tanto nos hábitos como também até na formação do povo.

Antigamente eram usadas as bisnagas dágua feitas de metal e também os "limões de cheiro" feitos de cera. Os limões de cheiro evoluiram para as "lança-perfumes", enquanto as grandes bisnagas dágua evoluiram para bisnagas de plastico.

As limas-de-cheiro ou laranjas ou limões de cheiro, como eram chamados estes objetos de cera, foram usados em várias cidades do Brasil até o começo do século 20, aproximadamente até a primeira década.

Apareceram também as serpentinas e confetes multicoloridos, que davam aos bailes e também à ruas muita vida e aspectos encantadores.

Máscaras de Carnaval

As máscaras de carnaval, disfarces e fantasias eram influênciadas e tinham também origem nos indígenas. Entretanto foram os portugueses que introduziram as máscaras européias juntamente com as fantasias usadas na Europa.

Bailes de Máscara e à Fantasia

Os primeiros bailes à fantasia e bailes de máscara do Rio de Janeiro form organizados e realizados em hotéis e posteriormente em teatros existentes à epoca do Brasil Imperial. Veja mais sobre bailes de carnaval, suas origens e bailes atuais.

As novas manifestações e o Carnaval do Rio de Janeiro

Muitas das antigas formas de manifestações carnavalescas foram reduzidas ou até desapareceram, outras evoluíram, acompanhando as mudanças de vida ao longo do tempo. 

A cidade do Rio de Janeiro passou por inúmeras modificações e transformações, com aberturas de muitas e novas vias públicas e muitos aterros. Muitos festejos que aconteciam na Rua do Ouvidor, passaram a acontecer na recem aberta da Av Central, atual Av. Rio Branco, para onde se mudaram os desfiles, e onde se iniciou ou "Corso" carnavalesco.

Com as mudanças nas manifestações de carnaval e as modificações que foram ocorrendo na cidade, outros locais foram obrigados a se deslocar para a Praça Onze e para os bairros. Na década de 1980 foi construída a Passarela do Samba ou Sambódromo como ficou popularmente conhecido.

Apesar de muitas formas originais terem desaparecido e outras tomado novas formas, o Carnaval do Rio continua como a maior festa popular carioca e possivelmente a maior festa popular do mundo.

A festa continua a valorizar a música e os rítimos alegres, a ironia e a malicia sadia, a dança e as coreografias populares. E junto à isto os maiores escritores e poetas tem escrito sobre a festa que encanta o Rio, o Brasil e o Mundo.

Referências

  • Consulta a livros diversos sobre o Rio de Janeiro e sua história foram feitas para dar suporte à criação desta página.