Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Blocos e Bandas Carnavalescas no Rio de Janeiro

Blocos de carnaval desfilam nas ruas do Rio de Janeiro

Apesar dos desfiles de escolas se samba serem a faceta mais divulgada do carnaval do Rio de Janeiro, os blocos e bandas de rua são também uma manifestação muito tradicional e popular entre os cariocas. Alguns blocos são muito antigos, como o Cordão da Bola Preta que completou 90 anos. Aqui estão listados alguns destes blocos tradicionais, onde o carioca extravaza sua alegria e bom humor, nesta festa de alegria. Veja também as datas de saida do blocos.

Origens dos Blocos Carnalescos

Desde a metade do século XIX, agrupamentos de pessoas dispostas a se divertir, ou seja, os foliões tomavam as ruas do Rio de Janeiro.
Nesta época, até as primeiras décadas do seculo XX não existia grandes distinções formais ou normativas entre estes agrupamentos, e de acordo com as características de cada tipo de agrupamento, os mesmos eram chamados de "grupos", "cordões", "ranchos" e "grandes sociedades carnavalescas".

Na década de 1920, estudiosos e a imprenas começaram a definir e classificar melhor as diferentes categorias da folia carnavalesca como se segue.

Blocos de Carnaval na Atualidade

Nos ultimos anos, o número de blocos que desfilam pelas ruas do Rio vem aumentando de forma notável. Em 2011 mais de 450 blocos foram autorizados a desfilar pelas ruas da cidade, e no ano de 2012 este número deve ultrapassar 500 autorizações para saída durante o carnaval mostrando o que o ressurgimento dos blocos carnavalescos já se torna uma realidade inquestionável e que vem animando cada vez mais o carnaval dos carioca. A parte do Rio de Janeiro que conta com mais blocos é a chamada Zona Sul, entretanto a grande lista se extende por todos o bairros da cidade.

Bloco das Carmelitas - Bloco carnavalesco do bairro de Santa Teresa no Rio de Janerio

Acima, cena do Bloco das Carmelitas, do bairro de Santa Teresa, no Rio de Janeiro. Este é um bloco bastante conhecido na cidade. A lenda ultra fantasiosa em torno do bloco, se refere á uma suposta noviça que durante o carnaval fugia do convento que deu nome ao bairro para participar do bloco e brincar o carnaval.

Veja as datas de saída dos principais blocos de carnaval do Rio de Janeiro.

Grandes Sociedas

Clubes ou sociedades carnavalescas, ou grandes sociedades, seriam os grupos mais organizadas e com muitos participantes. Eram clubes organizados, formados por pessoas da sociedade carioca que organizavam cortejos ou desfiles fantasiados e competiam entre sí, inclusive com carros alegóricos.

Ranchos

Os grupos de carnaval mais populares eram chamados de "ranchos" quando eram considerados mais organizados e sociáveis, formando uma espécie de associação.

Blocos ou Cordões

Quandos os grupos eram mais desorganizados ou descontrolados chamavam-se "blocos ou cordões".

Em tempos passados, "blocos" seriam um meio termo entre os "ranchos" e os "cordões" que não eram muito bem vistos. Os blocos foram a inspiração para "grupos de samba", que procuravam aceitação social, e que viriam a ser as escolas de samba a partir da década de 1930. Entretanto as escolas de samba também sofrerem influências ou incorporaram certos aspectos dos desfiles dos ranchos e grandes sociedades. Os cordões se extinguiram em sua forma original e passaram a se chamar blocos.

Primeiros Blocos Licenciados

Embora estes blocos pudessem já existir antes, segundo registros, os primeiros blocos licencidados pela polícia do Rio de Janeiro vem 1889 e entre eles estão: Zé Pereira, Bumba meu Boi, Estrela da Mocidade, Grupo Carnavalesco São Cristóvão, Corações de Ouro, Recreio dos Inocentes, Um Grupo de Máscaras, Novo Clube Terpsícoro, Guarani,Piratas do Amor, Bondengó, Lanceiros, , Teimosos do Catete, Guaranis da Cidade Nova, Prazer da Providência, Prazer do Livramento.

Bloco de sujo

É um agrupamento de foliões onde o desorganização e improviso são a marca registrada. É uma típica manifistação popular de rua no Brasil, talvez mais comum em tempos passados. Foliões se reunem seja com roupa comum ou com fantasias de improviso, e acompanhados por intrumentos também tocados de forma improvisada, desfilam pelas ruas, cantando marchinhas carnavalescas e sambas ou enredos de escolas de samba. Muitos destes blocos são satíricos, e tomam como tema personagens conhecidos da política ou personagens do bairro, e se utilizam de ironia e bom humor.

Veja mais sobre a origem dos blocos e história do carnaval.