Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Planetário da Gávea

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O Planetário da Gávea, no Rio de Janeiro destaca-se não somente por sua temática, mas também por sua interessante arquitetura. No local estão expostos inúmeras réplicas e também objetos originais ligados à astronomia. Muitas exposições são interativas, permitindo uma relação ou experiência do usuário.

Cúpula de Projeção do Céu e Constelações

Existe no local uma grande cúpula de projeção onde através de efeitos audio-visuais o universo, as constelações e estrelas são explicadas aos assistentes.

No local existem 2 cúpulas de projeção, uma delas é mais antiga e menor, e outra bem maior, com um planetário óptico que utiliza instrumentos de projeção de última geração.

É nesta cúpula maior, que comporta uma platéia de aproximadamente 260 pessoas que são realizadas as projeções, onde os visitantes sentam-se em poltronas reclinadas voltadas para a parte superior da cúpula onde são feitas as projeções.

Quando as luzes se apagam e começa a projeção, tem-se a sensação de realmente estar em uma poltrona reclinável, como se estivesse em terraço olhando para o céu á noite. Ao longo da projeção são explicados alguns mistérios de universo e a formação das constelações.

Existem sessões de projeções para vários níveis, em alguns horários as sessões apresentam um didática mais escolar para um público de menor idade e em outros horários podem ser dedicadas à um público mais adulto. Mas o fato é que, qualquer que seja a sessão são feitas as projeções sobre o céu, as estrelas e constelações.

A cúpula maior leva o nome de Carl Sagan em homenagem ao famoso cientista e astrônomo que além de ter feito contribuições à ciência tinha um viés literário, didático e mercadológico para atrair milhares de leitores com seus livros que continham títulos chamativos e bombásticos, incentivando assim o a leitura no campo das ciências.

Como ir ao Planetário

O Planetário da Gávea situa-se na Rua Vice Gov. Rubens Berardo, 100, Gávea, Rio de Janeiro, RJ. Fica no início da Rua Marques de São Vicente, um pouco acima do muito conhecido Shooping da Gávea e perto da da Praça do Hipódromo da Gávea ou Jockey Club. 

Como referência, fica também próximo ao "minhocão" e perto da PUC RJ.

Para quem vai de ônibus, pegar algum onibus que passe na Rua Marques de São Vicente e peça para descer perto do "Planetário". Para voltar, exatamente ao lado do Planetário, na Rua Rubens Berardo existe um ponto de ónibus, e assim como na Rua Marques de São Vicente existem pontos nos dois sentidos, tanto de subida como descida. Inúmeros ónibus também passam na Praça do Jockey, para quem quer andar um pouco.

Exposições Interativas Sobre Astronomia e Espaço

Ao entrar no planetário de imediato nota-se que as formas externas da construção quanto à um painel de vidros, tem um direta correlação com as formas internas, iluminando o ambiente cujos espaços se desdobra em vários níveis. A arquitetura estabelece espaços que dão a sensação de dinâmismo e movimento, interconectados por uma rampa em curva que liga os vários níveis.

Acima, do lado esquerdo, vista do do interior da edificação do planetário do Rio de Janeiro. Amplos espaços em diferentes níveis interconectados por uma rampa, abrigam exposições e temas sobre astrônomia. Na foto uma alegoria suspensa sobre alguns planetas do sistema solar. Em primeiro plano na foto, um monitor de um totem multimídia, onde o usuário pode interagir com a máquina, entrando com dados e obtendo resultados.

Entre as inúmeras réplicas em miniatura ou maquetes de artefatos ligados ao espaço e astronomia, uma das mais interessante é a de uma estação espacial internacional, mostrada na foto acima, do lado direito. Mas inúmeros outras réplicas e fotos de artefatos e objetos estão expostos no local, entre eles uma do telescópio espacial Hubble. Fotos obtidas pelo telescópio também estão em exposição.

Planetário do Rio de JaneiroRéplica em miniatura ou maquete de uma estação espacial internacional

Acima, do lado esquerdo, vista do do interior da edificação do planetário do Rio de Janeiro. Amplos espaços em diferentes níveis interconectados por uma rampa, abrigam exposições e temas sobre astrônomia. Na foto uma alegoria suspensa sobre alguns planetas do sistema solar. Em primeiro plano na foto, um monitor de um totem multimídia, onde o usuário pode interagir com a máquina, entrando com dados e obtendo resultados.

Entre as inúmeras réplicas em miniatura ou maquetes de artefatos ligados ao espaço e astronomia, uma das mais interessante é a de uma estação espacial internacional, mostrada na foto acima, do lado direito. Mas inúmeros outras réplicas e fotos de artefatos e objetos estão expostos no local, entre eles uma do telescópio espacial Hubble. Fotos obtidas pelo telescópio também estão em exposição.

Interior do Planetário visto da parte superior, onde aparecem inúmeras atrações e objetos ligados à astronomia e ao espaço

Interior do Planetário visto da parte superior. Nesta foto aparecem inúmeras atrações e objetos ligados à pesquisa astronômica e espacial. Na fotos são vistas instalações multimídia interativas, um grande telescópio, vários paineis iluminados e uma simulação do espaço iluminado.

Na foto ao lado direito, aparece um Pêndulo de Foucault, réplica real da experiência e equipamento para demonstrar a rotação da Terra em relação à um determinado referencial, e demonstrando assim também a existência da força de Coriolis.

Este equipamento e esta experiência leva o nome de Pêndulo de Foucault em homenagem ao seu criador e primeiro auto da experiência, o físico francês Jean Jean Bernard Léon Foucault. A demonstração da experiência foi feita pela primeira vez no ano de 1851, quando Foucault fixou um pêndulo ao teto do Panthéon de Paris.