Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Leblon, Praia e Bairro

Vista panorâmica da praia e bairro do Leblon

O bairro e praia do Leblon é na prática uma prolongação da praia e bairro de Ipanema, localizando-se na zona sul do Rio de Janeiro. Estes dois bairros são divididos por um canal margeado por uma estreita faixa de praças e jardins, chamada Jardins de Alah.

Aparência do Leblon e suas características

O bairro do Leblon é uma espécie de irmão do bairro de Ipanema, porém um irmão mais tranquilo e sossegado, com menos história de vanguardas e "ideologias na cabeça". Enquanto Ipanema foi o berço da contra-cultura "chic", e era habitada por muitos intelectuais famosos na decada de 1960 e 1970, além de muito badalada, em contrapartida o Leblon sempre foi um bairro um pouco mais discreto e sossegado.

Mas os bares do Leblon, com ar descontraido e simples nas decadas de 1970 e 1980 sempre foram muito frequentados por atores, artistas, num tempo que músicos e artistas podiam andar nas ruas ou ir a bares e restaurantes sem ser incomodados. Era um tempo em que não exisita "celebridades" ou pessoas que atingem fama sem ter talento algum, ficando conhecidas apenas por provocar escandalos ou por descobrirem meios de aparecer na mídia. Nesta época, não seria incomum sentar em um bar do Leblon e ver alí perto ocasionalmente, genuínos artistas como Gilberto Gil, Caetano Veloso, ou até mesmo Chico Buarque. Atores conhecidos também frequentavam os bares do Leblon.

Alias, isto não ocorria somente no Leblon. Até o final dos anos 80, não havia este excessivo assédio à figuras conhecidas, e em outros locais do Rio de Janeiro se costumava ver mais frequentemente algum ator ou intelectual de renome perambulando pelas ruas.

Assim como Copacabana e Ipanema, o Bairro está praticamente todo tomado por edifícios de apartamentos, restando muito pouco ou quase nada de casas isoladas. Entretanto, o bairro tem menos densidade populacional do que Copacabana, tendo as vias principais e as calçadas mais largas e um tanto mais espaçosas.

A Praia

Certamente os atrativos da praia e os belos cenários da orla foram uma das principais motivações do adensamento do bairro. Quem está na faixa de areia e volta seus olhos para o mar, encontra um cenário intacto por séculos. Em um dia de pouco movimento, é possivel ter a sensação de estar em uma praia pouco ocupada, um cenário que quase se assemelha ao cenário de uma praia virgem. Mas se voltar os olhos para as inúmeras construções que margeam a orla, sente-se o impacto da civilização e seu modelo de progresso.

Praia do Leblon numa tarde de domingoPraia do Leblon com seus edifícios à beira mar

Praia, Mar e Ilhas

A praia do Leblon é geralmente tranquila e mais frequentada pelos moradores do bairro. Na imagem da esquerda, ao fundo vê-se um pequeno arquipélogo que que da mais beleza ao cenário local. Esta foto foi tirada num fim de tarde de domingo.

Edifícios e Praia do Leblon

A av. Delfim Moreira é um dos mais nobres endereços do Rio. Não somente na orla, mas todo o bairro é majoritariamente ocupado por prédios de apartamentos. Enquanto o mar e as ilhas à frente do bairro continuam um cenário como visto à séculos, a área ocupada pelo bairro está totalmente transformada e plenamente habitada, com alta densidade populacional típica de grandes metrópoles.

O Baixo Leblon

O Baixo Leblon é uma área do bairro que situa-se na extremidade leste do bairro e final da faixa de areia da praia. Durante os anos 80 era muito frequentada por boêmios, artistas e pela juventade da época. Um dos mais famosos frequentadores dos bares do local foi Cazuza, cantor da banda Barão Vermelho que depois seguiu carreira solo. O ponto fervilhava nas noites de sexta, sábado e domingo, ficando quase congestionado. Era o local da moda frequentado não somente pelos moradores, mas também por "peregrinos" de todas as partes da cidade, compostos de jovens à procura de simples aventuras, boêmios, artistas, poetas e intelectuais ou pretendentes a se tornarem artistas, poetas e intelectuais.

A área de maior movimento se dava quase ao final da Avenida Ataulfo de Paiva, onde se concentravam alguns bares-restaurantes e uma pizzaria e choperia. Hoje em dia, em 2011, o local aparenta ser bem mais sossegado. A antiga Pizzaria Guanabara e o Bar Diagonal ainda se encontram instalados no mesmo local.

O Alto Leblon

O Alto Leblon é uma parte mais alta do bairro e de menor área, bastante sossegada por ser mais isolada e com menos comércio. Esta parte fica numa encosta acessada por subidas sinuosas. Fica depois do Baixo Leblon, do outro lado de uma bela e arborizada avenida chamada Visconde Albuquerque, que vem da praça do Jockey Club e que tem um canal d´agua entre as duas vias.

Jardim de Alah

O Jardim de Alah, é uma área que fica em ambas as margens de um canal que liga a Lagoa Rodrigo de Freitas ao mar. Este canal, com amplos parques ajardinados e arborizados de ambos os lados, que se extendem ao longo do canal, é também a linha divisória entre os bairros do Leblon e Ipanema. Uma vez atravessando a ponte por sobre o canal, passa-se para o outro bairro.

Creio que a muitos do moradores do Rio se questionam quanto ao porque do nome desta praça. Segundo alguns afirmam, o nome foi inspirado em um antigo filme da época áurea Hollywood chamado "O Jardim de Allah", filme este que fez sucesso um pouco antes da contrução desta praça, que foi construída em 1938.

Um pouco de História

No século 19, onde hoje se chama Leblon, era uma área rural, onde havia algumas chácaras. Tudo leva a crer que o nome do bairro e da área ficou conhecido como Leblon devido ao fato de um francês chamado Charles Le Blond ter sido dono na metade do século XIX, de de uma empresa de pesca de baleias no local e uma chácara que ocupava metade do atual bairro (entre a atual Rua Bartolomeu Mirtre até ao final da praia e Av. Niemeyer). Esta área naquela época ficou conhecida como área do Le Blond ou campo do "Le Blond" ou Leblon. Nesta época, o acesso á chácaras do Leblon certamente se dava através da área da Lago Rodrigo de Freitas.

O Leblon somente foi loteado no início do século XX, e somente em 1918 foi feita a primeira ponte que ligava as avenidas Vieira Souto de Ipanema e Delfim Moreira do Leblon, avenidas estas de frente para o mar.

Leblon e Ipanema visto do Mirante do Leblon

Foto tirada do Mirante do Leblon. A praia do Leblon é vista seguida da praia de Ipanema. Bem ao fundo, no horizonte, a pedra do Apoardor. Tanto o bairro como a praia do Leblon e Ipanema são divididas pelo canal que passa pelo Jardins de Alah, canal este que liga a Lagoa Rodrigo de Freitas ao Mar.

Leblon tendo ao fundo o Morro Dois Irmãos

Acima a praia do Leblon, a calçada, ciclovia e pista de tráfego da avenida Delfim Moreira. Esta avenida é também um dos pontos mais nobres e valorizados do Rio de Janeiro. Ao fundo vê-se o morro Dois Irmãos, que é um dos limites do bairro Leblon e também um ds cenários que o caracterizam. O bairro também faz vizinhança com Ipanema (dividido pelo Jardim de Alah), com a Lagoa Rodrigo de Freitas e com a Gávea. Ao final da praia, fica o Mirante do Leblon.