Rio de Janeiro AquiRio de Janeiro Aqui

Pedra da Gávea

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

A Pedra da Gávea é uma montanha de rocha cujo topo é de difícel acesso, e que se distingue das demais montanhas do Rio por causa de suas formas e formações rochosas. E exatamente por suas caracterísitcas, tornou-se cercada de mitos e lendas.

Formas Estranhas

O Rio tem inúmeras e interessantes montanhas de rocha, e geralmente a maioria delas tem o cume pontiagudo, como o Corcovado, Pão de Açucar, Pico da Tijuca e cumes do Morro Dois Irmãos. Do outro lado da Baía de Guanabara, do alto de Santa Teresa também podem ser avistadas 2 montanhas próximas com os cumes pontiaguados.

Entretanto a Pedra da Gávea, do alto de seus 842 metros de altura chama a atenção por ter uma forma diferente, na verdade o seu cume é um platô ou patamar também de rocha, predominantemente plano para quem vê de longe.

Mas quando se observa mais de perto, alguns detalhes chamam especial atenção, e pode-se ver como a natureza é capaz de criar formas intrigantes ao mero acaso, em decorrência da erosão.

Mas para alguns, estas formas não são obra de um mero acaso ou da erosão provocada pelas chuvas e pelos ventos nas partes mais fracas da rocha ao longo de séculos.

Gávea de navioA grande montanha de rocha desperta curiosidades e é cercada de lendas e mitos, sobre os quais discorre-se mais abaixo.

Entretanto o que se sabe de verdade, é que se trata de uma montanha de rocha gnaisse (granito) e nada mais que isto, assim como as demais rochas predominantes no Rio de Janeiro.

A Forma deu Origem do Nome

Devido à forma de seu cume, quando vista do mar, os Portugueses deram o nome de Pedrá da Gávea, fazendo analogia com a parte alta de um navio à velas, chamada Gávea.

Esta parte alta do navío, que fica quase no topo do mastro principal, pode ser descrito como um pequeno patamar, geralmente cercado e tendo a forma de uma barrica ou tina onde um marinheiro subia para observação. Como a pedra possuia uma forma que lembrava uma gávea de navio, eles a chamaram de Pedra da Gávea.

A foto ao lado mostra a gávea de um veleiro. Clique sobre a foto para ampliar.

Mitos, Lendas e Formações Rochosas

Devido às estranhas formações rochosas, e umas formações em um paredão em forma de escrita ou sinais, a Pedra da Gávea carrega junto com seu nome muitas lendas e mitos. Entre os principais mitos e lendas, um deles envolve os caracteres gravados na pedra e a hipótese da esfinge fenícia. Outra teoria que alguns levantam acerca da Pedra Gavea é que na mesma situa-se um grande portal para Agartha.

Ao observar bem a pedra, diversas associações podem ser feitas e abaixo algumas das mais comuns.

A Cabeça do Gigante

Pedra da Gávea | Face do giganteOlhando a Pedra da Gávea, vista da Pedra Bonita ou da estrada das Canoas que contorna a Pedra Bonita, assim como da rampa de Asa Delta e Parapente que fica quase no topo da Pedra Bonita, pode-se ver a cabeça de um grande gigante esculpida em pedra. Seja uma acidental obra da natureza ou não, a semelhança é muito grande e realmente parece uma escultura.

Quanto à esta semelhança, qualquer que tenha sido a causa de tal formação, nem o mais cético dos homens pode negar.

Vista da Praia de São Conrado, não é possivel ver a "cabeça e rosto" de frente, mas é possivel vê-los de lado. Vista deste angulo e mesmo local, a Pedra apresenta outro fato curioso. Entre as extremidades do partamar mais longo de seu cume, de um lado voltado para o mar, também aparece uma formação que se assemelha à uma cabeça inacabada, mas exista quem veja também um traseiro de animal. Do outro lado da superfície mais longa do patamar, fica a "cabeça" do gigante.

Enigmáticas Inscrições

No alto da Pedra, do lado da Cabeça, voltada para São Conrado, existem algumas formações e erosões que parecem inscritos ou o que parece serem letras entalhadas na pedra. À olho nú nem sempre é possivel ver, mas vendo fotos ampliadas e tiradas com tele-objetivas que proporcionam melhores detalhes à longa distância, pode-se ver o que parecem ser inscritos (palavras gravas na pedra) de algum alfabeto primitivo.

O que mais intriga muitos observadores da Pedra da Gávea, não é exatamente a forma de "cabeça humana" em uma das extremidades, e nem as formas de "portais" que podem ser formações ao acaso, feitas ao longo dos anos, pela erosão, um fenomeno natural.

Alguns observadores não se conformam em admitir que as marcas em forma de escrita seja um mero acaso da natureza. Deste fato sugir uma curiosa e criativa hipótese para tentar explicar o enígma dos escritos na pedra.

Pedra da G�vea vista de S�o Conrado | Supostas grava��es na pedra

Acima a Pedra da Gávea vista de São Conrado, mais precisamente da auto-estrada Lagoa Barra. Esta imagem se alterna ao passar o mouse sobre a mesma, quando então é exibida uma foto ampliada, mostrando as supostas gravações na pedra, na parte cujas formações rochosas apresentam verossimilhança com uma face humana, ou "cabeça de gigante".

Primeiras Constatações Sobre os Caracteres Gravados

As formas da rocha que tem semelhança com uma face humana, chamavam a atenção de longa data, e igualmente os caracteres que também foram primeiramente objetos de estudos desde o tempo da estada de Dom João VI no Brasil.

Frei Custódio, um religioso especialista em epigrafia, ou seja, estudos de gravações em pedra fez um relatório a cerca das inscrições na Pedra da Gávea, e concluiu que foram feitas no tempo do descobrimento do Brasil, tendo este relatório sido entregue a Dom João VI.

Em 1839 o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro decidiu analisar o assunto, e organizou uma expedição para tal fim. Participaram os historiadores J. Cunha Barbosa, Manoel de Araújo Porto Alegre e o o capelão imperial J. Rodrigues Monteiro.

O relatorio que veio a seguir, após a expedição e consequentes análises, reconheceu caracteres fenícios nas inscrições, parecendo terem sido feitos na antiguidade, e estando deteriorados pelo tempo. Entretanto o relatório também via as inscrições como produto da erosão, o que por fim levou a prevalecer a hipótese de que os caracteres foram feitos pela natureza.

Entretanto, no ano de 1928, apareceu uma nova hipótese que atribuía aos Fenícios as gravações de caracteres na Pedra da Gávea.

Veja também sobre a decodificação dos caracteres da Pedra da Gávea.

A Pedra da Gávea também está relacionada também ao portal de Agartha, uma entrada para um mundo subterrâneo no interior da Terra, advindo da teoria da Terra Oca.